3 de agosto de 2011

Resenha: O Mistério Do Cinco Estrelas, de Marcos Rey

Título: O Mistério Do Cinco Estrelas
Série: Vaga-Lume
Autor: Marcos Rey
Editora: Ática
Páginas: 128

Sinopse:
Um homem é assassinado no apartamento 222 do Emperor Park Hotel. O único que viu o corpo foi Léo, o mensageiro. Mas ninguém acredita em suas histórias, a não ser seus amigos Gino, Ângela e Guima. Léo é apenas um garoto e seus inimigos são ricos e poderosos. sem ter provas nenhuma contra elas, acaba perdendo o emprego e sendo procurado pela polícia, achando que tem problema de cabeça. Quem conseguirá desvendar o mistério do cinco estrelas?

Lembram-se quando falei da Coleção Vaga-Lume? Consegui outro exemplar, o aclamado O Mistério Do Cinco Estrelas, um clássico da literatura infanto-juvenil, em outra troca de livros na Biblioteca.

Este, que me lembro, foi o primeiro livro da Coleção que li na escola, para prova, na época (ih, me senti velho!). O mais legal é que, por mais tempo que se passe desde sua primeira publicação, a história ainda continua atual, e a escrita despojada de Marcos Rey vem conquistando gerações desde a década de 80 (1981). Além de que as escolas continuam indicando este livro aos alunos. É assim que se aprende a gostar de ler!

Quem nunca leu O Mistério Do Cinco Estrelas, favor dirigir-se à Biblioteca Municipal mais próxima e alugar. Sim, e tem que ser um livro com aspecto de bem lido, porque essa é a graça da Coleção Vaga-Lume! Os livros ficam mais saborosos e mais instigantes.

O quarto 222 do Emperor Park Hotel, um cinco estrelas, é o palco de um assassinato que Leonardo Fantini, o bellboy (mensageiro do hotel) de dezesseis anos, desconfia com unhas e dentes, ter sido cometido pelo Barão, velho muito bem quisto por todos, sempre engajado em campanhas para crianças e idosos, morador daquele quarto.

Aquele indígena avistado pelo reflexo no espelho e aqueles pés debaixo da cama, vistos de relance, momentos depois, dentro do quarto do Barão, não querem dizer outra coisa! Contudo, quem irá acreditar em um simples mensageiro?

Felizmente, Leo tem amigos com quem contar: Guima, o porteiro e Ângela, sua quase-namorada; também tem seu inteligente primo Gino, paraplégico, e toda sua família. O espaço é São Paulo, no bairro Bela Vista.

Te digo, são muitas aventuras para um livro de somente 128 páginas, tão carismático como O Mistério Do Cinco Estrelas.

"A porta abriu um pouco e lentamente, o suficiente apenas para mostrar o rosto do hóspede. O Barão, muito pálido, como um doente, teimava em sorrir, mas não devia estar bem porque suas mãos, trêmulas, deixaram cair os jornais.
Leo abaixou-se para apanhá-los quando viu, sob a cama, dois pés calçados, apontando para a porta."

Ou Leo desvenda todo o crime de uma vez por todas, ou morre.
Quem é o morto? Quem matou? O que, afinal, há por trás de tudo?

Uma narrativa fluida, com várias ilustrações, é um livro pequeno, que da mesma forma que A Maldição do Tesouro do Faraó, seria digno de uma reescrita mais detalhada. Recomendo para todas as idades este marco na juventude de inúmeros brasileiros.

O trio Leo, Ângela e Gino também são protagonistas de outros livros que constituem assim uma quadrilogia (O Rapto do Garoto de Ouro, Um Cadáver Ouve Rádio e Um Rosto no Computador), em que este aqui é o início dela.

Você, aí do outro lado, já leu?
Ficou intrigado? Ou não leu agora está com a pulga atrás da orelha?

Aproveite para  inaugurar o novo sistema de comentários! ;D




A Maldição Do Tesouro Do Faraó pode ser encontrado nos seguintes sites:

 -
O conteúdo deste post é protegido. 
Caso queira reproduzir alguma parte, favor consultar as políticas do blog. 

Rafael

Sobre o autor

Rafael Estudante de Análise e Desenvolvimento de Sistemas, viciado em Internet, e adora esse mundo literário. Prefere os livros fantásticos, mas, de vez em quando, precisa de algumas doses de realidade.
@rafaschiabel Skoob Tumblr

Related Posts with Thumbnails